Quinta-feira, 25 de Dezembro de 2008

Flamingo!

O flamingo é uma ave pernalta e corpulenta de bico poderoso e beleza inconfundível, que pode ser observada em vários locais do território do Centro e Sul de Portugal. Pode ainda ser encontrado em todos os países do Sul da Europa e do Norte de África, bem com em alguns territórios mais a Oriente. As suas grandes patas são de cor rosácea, e as suas penas podem ser brancas ou cor de rosa, podendo por vezes atingir uma coloração quase laranja. Esta ave pode ser observada nos estuários dos rios Tejo, Sado, Arade e Guadiana, existindo também grandes bandos na Ria Formosa. Para poder observar estes animais, nunca deve aproximar-se muito, já que ao mínimo ruído começarão a correr, para ganhar velocidade, voando depois para zonas onde se sintam seguras. Os flamingos são aves migradoras, voam até ao norte de África, quando os dias arrefecem no sul da Europa, para voltarem na Primavera seguinte. O flamingo alimenta-se de pequenos crustáceos, peixes e bivalves, razão pela qual procura as zonas onde a água tem pouca profundidade e as zonas de lama ou sapais. As fêmeas fazem ninhos altos onde depositam dois ovos, que vão demorar cerca de 30 dias a eclodir. Os flamingos podem atingir os 1,3 m de altura e pesar cerca de 12 kg.

.

 

 

00010g7r

publicado por Diana às 17:04
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Fotos: Chimpanzés!

Photo: A young chimpanzee peeks through the leaves of the Tai forest Photo: Fifi with the youngest two of her four sons Photo: A young chimpanzee hangs from a tree limb Photo: A male chimpanzee named Frodo

publicado por Diana às 17:03
link do post | comentar | favorito
Domingo, 23 de Novembro de 2008

Curiosidades sobre Gatos!

Os gatos são animais fascinantes e místicos. Existe muito a dizer sobre este animal e deixamos aqui algumas curiosidades que tentam desvendar algumas das questões mais engraçadas sobre estes bichinhos.
· O Maicis, antecessor genético dos gatos, era um pequeno animal que vivia em cima de árvores há 40/50 milhões de anos atrás.
· Os antigos Egípcios tinham pelos gatos uma adoração como se fossem Deuses.
· Os gatos foram domesticados no Antigo Egipto, há mais de 4000 anos atrás.
· No Antigo Egipto, matar um gato era um crime punido com a morte.
· Ainda no Antigo Egipto, eram feitas múmias de gatos que eram colocadas em túmulos juntamente com ratinho embalsamados. Numa antiga cidade foram encontradas 300.000 múmias de gatos.
· A região do cérebro responsável pelas emoções é igual nos homens e nos gatos.
· O cérebro do homem é muito mais parecido com o do gato do que com o do cão.
· Contrariamente ao que a maioria das pessoas pensa, cortar as unhas aos gatos é algo muito diferente do que por exemplo, cortar as unhas a um cão. no caso dos gatos isto implica a amputação da primeira junto do dedo dos gatos, o que é muito doloroso. É por esta razão que tal prática é proibida em muitos países. Se quiser saber mais sobre este assunto pode aceder ao site www.stopdeclaw.com
· Os gatos têm especial preferência por nomes terminados no som “i”.
· Quando sente muita dor, o gato treme.
· O ronronar pode ser um sinal de medo ou de dor, além da típica associação a alegria e prazer. 
Os bigodes do gato servem para ele medir as distâncias e são um total de 24, agrupados de 4 em 4.
· A audição dos gatos é muito mais sensível do que a nossa porque os seus ouvidos afunilados servem como que de megafone que canaliza e amplifica os sons. Assim, os gatos conseguem ouvir até 65 khz (kilohertz), e os homens apenas até 20 khz.
· Só com cerca de duas semanas de vida é que os gatos já ouvem bem e os seus olhos abrem por volta do sétimo dia.
· Enquanto o Homem possui cerca de 5 a 20 milhões de células olfactivas, os gatos possuem cerca de 60 a 80 milhões! Além destas células existe um outro orgão que serve a mesma função olfactiva e que está situado no céu da boca, que é o orgão de Jacobson. É um analisador de odores que é activado quando o gato sente odores fortes.
· Os gatos têm apenas 30 dentes, enquanto os cães têm 42. Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade.

· Já alguma vez viu um gato a cheirar um flor? De facto, eles gostam muito de cheiros de loções e perfumes e tentam não perder uma oportunidade para sentir tais aromas!
· Enquanto o homem possui 206 ossos os gatos possuem 245.
· Os gatos possuem mais 5 vértebras que os humanos; são 30 no seu total.
· O gato usa a cauda para se equilibrar.
· Cerca de 10% dos ossos do gatos está situada na cauda, de tal modo que o equilíbrio seja assegurado.
· A cauda é um termómetro do estado de humor do gato. E a propósito de cauda, o gato doméstico é o único capaz de andar com a cauda erecta.
· Os gatos domésticos detestam limões, laranjas ou qualquer outro citrino.
· Ao afiarem as garras, os gatos deixam um sinal porque têm glândulas nas patas que segregam uma substância, que serve como de aviso para os outros gatos que lá estiverem. Mas não é só nas patas que existem estas glândulas. Elas existem também na face, no pescoço, nos ombros e na cauda.
· Após uma refeição, os gatos lavam-se imediatamente. Porquê? É o instinto de sobrevivência que os leva a agir de modo a que os predadores não sintam o odor da comida e possam atacá-los. 
Os gatos são os mamíferos com os olhos maiores, proporcionalmente ao tamanho do corpo. · Os gatos não conseguem ver na escuridão completa.
· Os gatos sempre foram conhecidos pela grande capacidade visual mas qualquer coisa num raio inferior a 15 cm torna-se muito desfocada.
· Os gatos vêem melhor à noite, quando comparados com os humanos porque apenas precisam de 1/6 da luz que o Homem precisa. Mas para conseguir ver com pouca luz, ele prescindiu de conseguir ver os pequenos detalhes, vêem-nos desfocados.
· O campo de visão de um gato é de 185 graus.
· Por serem muito sensíveis à luz, os seus olhos adquiriram pupilas verticais que quando estão totalmente aberta, ocupam uma área proporcionalmente maior do que a pupila humana.
· Ao fundo dos olhos, os gatos possuem uma camada de células designadas de “tapetum lucidum” que servem para que após a absorção da luz, esta seja reflectida através dessas mesmas células de volta para a retina fazendo com que os receptores que não tenham captado a luz, o possam fazer agora. Assim, a capacidade dos receptores da retina é amplificada em 40%. Podemos então dizer que os gatos vêem bem no escuro porque os seus olhos reflectem a luz, funcionando como pequenos faróis!
· Ainda que alguns estudos defendam que os gatos sejam daltónicos, outros vêem afirmar que os gatos conseguem distinguir nitidamente o amarelo, o verde e o azul.
· Apenas um em cada mil gatos cor-de-laranja é fêmea.
· O QI dos gatos só é ultrapassado (no reino animal) pelo dos macacos e dos chimpanzés.

publicado por Diana às 19:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Curiosidades sobre Gatos!

Os gatos são animais fascinantes e místicos. Existe muito a dizer sobre este animal e deixamos aqui algumas curiosidades que tentam desvendar algumas das questões mais engraçadas sobre estes bichinhos.

· O Maicis, antecessor genético dos gatos, era um pequeno animal que vivia em cima de árvores há 40/50 milhões de anos atrás.

· Os antigos Egípcios tinham pelos gatos uma adoração como se fossem Deuses.
· Os gatos foram domesticados no Antigo Egipto, há mais de 4000 anos atrás.
· No Antigo Egipto, matar um gato era um crime punido com a morte.

· Ainda no Antigo Egipto, eram feitas múmias de gatos que eram colocadas em túmulos juntamente com ratinho embalsamados. Numa antiga cidade foram encontradas 300.000 múmias de gatos.

· A região do cérebro responsável pelas emoções é igual nos homens e nos gatos.
· O cérebro do homem é muito mais parecido com o do gato do que com o do cão.

· Contrariamente ao que a maioria das pessoas pensa, cortar as unhas aos gatos é algo muito diferente do que por exemplo, cortar as unhas a um cão. no caso dos gatos isto implica a amputação da primeira junto do dedo dos gatos, o que é muito doloroso. É por esta razão que tal prática é proibida em muitos países. Se quiser saber mais sobre este assunto pode aceder ao site www.stopdeclaw.com

· Os gatos têm especial preferência por nomes terminados no som “i”.
· Quando sente muita dor, o gato treme.

· O ronronar pode ser um sinal de medo ou de dor, além da típica associação a alegria e prazer.

· Os bigodes do gato servem para ele medir as distâncias e são um total de 24, agrupados de 4 em 4.

· A audição dos gatos é muito mais sensível do que a nossa porque os seus ouvidos afunilados servem como que de megafone que canaliza e amplifica os sons. Assim, os gatos conseguem ouvir até 65 khz (kilohertz), e os homens apenas até 20 khz.

· Só com cerca de duas semanas de vida é que os gatos já ouvem bem e os seus olhos abrem por volta do sétimo dia.

· Enquanto o Homem possui cerca de 5 a 20 milhões de células olfactivas, os gatos possuem cerca de 60 a 80 milhões! Além destas células existe um outro orgão que serve a mesma função olfactiva e que está situado no céu da boca, que é o orgão de Jacobson. É um analisador de odores que é activado quando o gato sente odores fortes.

· Os gatos têm apenas 30 dentes, enquanto os cães têm 42. Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade.

· Já alguma vez viu um gato a cheirar um flor? De facto, eles gostam muito de cheiros de loções e perfumes e tentam não perder uma oportunidade para sentir tais aromas!

· Enquanto o homem possui 206 ossos os gatos possuem 245.
· Os gatos possuem mais 5 vértebras que os humanos; são 30 no seu total.
· O gato usa a cauda para se equilibrar.

· Cerca de 10% dos ossos do gatos está situada na cauda, de tal modo que o equilíbrio seja assegurado.

· A cauda é um termómetro do estado de humor do gato. E a propósito de cauda, o gato doméstico é o único capaz de andar com a cauda erecta.

· Os gatos domésticos detestam limões, laranjas ou qualquer outro citrino.

· Ao afiarem as garras, os gatos deixam um sinal porque têm glândulas nas patas que segregam uma substância, que serve como de aviso para os outros gatos que lá estiverem. Mas não é só nas patas que existem estas glândulas. Elas existem também na face, no pescoço, nos ombros e na cauda.

· Após uma refeição, os gatos lavam-se imediatamente. Porquê? É o instinto de sobrevivência que os leva a agir de modo a que os predadores não sintam o odor da comida e possam atacá-los.

· Os gatos são os mamíferos com os olhos maiores, proporcionalmente ao tamanho do corpo.
· Os gatos não conseguem ver na escuridão completa.

· Os gatos sempre foram conhecidos pela grande capacidade visual mas qualquer coisa num raio inferior a 15 cm torna-se muito desfocada.

· Os gatos vêem melhor à noite, quando comparados com os humanos porque apenas precisam de 1/6 da luz que o Homem precisa. Mas para conseguir ver com pouca luz, ele prescindiu de conseguir ver os pequenos detalhes, vêem-nos desfocados.

· O campo de visão de um gato é de 185 graus.

· Por serem muito sensíveis à luz, os seus olhos adquiriram pupilas verticais que quando estão totalmente aberta, ocupam uma área proporcionalmente maior do que a pupila humana.

· Ao fundo dos olhos, os gatos possuem uma camada de células designadas de “tapetum lucidum” que servem para que após a absorção da luz, esta seja reflectida através dessas mesmas células de volta para a retina fazendo com que os receptores que não tenham captado a luz, o possam fazer agora. Assim, a capacidade dos receptores da retina é amplificada em 40%. Podemos então dizer que os gatos vêem bem no escuro porque os seus olhos reflectem a luz, funcionando como pequenos faróis!

· Ainda que alguns estudos defendam que os gatos sejam daltónicos, outros vêem afirmar que os gatos conseguem distinguir nitidamente o amarelo, o verde e o azul.

· Apenas um em cada mil gatos cor-de-laranja é fêmea.
· O QI dos gatos só é ultrapassado (no reino animal) pelo dos macacos e dos chimpanzés.

 


 

publicado por Diana às 18:55
link do post | comentar | favorito
Sábado, 1 de Novembro de 2008

Tartaruga marinha

Depois de viajarem ao sabor das correntes do Atlântico Norte durante cerca de 10 anos, alguma coisa faz com que as tartarugas marinhas voltem ao seu local de nascimento.

Nesse momento já têm uma carapaça com cerca de 50 a 60 cm. De volta ao Atlântico Ocidental, na Florida, por exemplo, elas adoptam um tipo de vida diferente em águas de baixa profundidade junto à costa, alimentando-se de invertebrados.
Passarão aqui o resto das suas vidas. Só quando tiverem atingido os 30 anos (carapaça com 90 cm) estarão maduras o suficiente para se reproduzirem.

Num certo Verão, de noite, arrastam-se lentamente para as dunas por cima da linha de maré alta. A fêmea pesa mais de 100 kg e em terra não se movimenta facilmente.

Depois de ter escolhido o lugar para o seu ninho, começa a escavar uma cova para o corpo, usando as barbatanas da frente. Só parará quando o seu corpo ficar abaixo da superfície da areia.Terminando a construção do ninho, com cerca de 60 cm de profundidade, ela põe cerca de 120 ovos brancos e tão redondos que quase parecem bolas de ping-pong.
De seguida, cobre o ninho e regressa ao mar. O processo dura cerca de uma hora. Durante a estação de nidificação, cada fêmea faz cerca de três ninhos e aproximadamente dez posturas, com intervalos de duas semanas.

Terminada a estação, a tartaruga apenas voltará a fazer ninho depois de três ou quatro anos. Sabias que quando for altura de pôr ovos outra vez, a tartaruga volta exactamente ao mesmo sítio?
Como é que ela se orienta e encontra exactamente o mesmo local é ainda um dos maiores mistérios para os cientistas!
Cerca de 60 dias mais tarde, os ovos abrem-se e as tartarugas-bebés com 5 cm de comprimento, abandonam o ninho, rastejando praia abaixo para a rebentação.
Neste processo, muito poucas tartaruguinhas sobrevivem.
Ao saírem dos ovos, as gaivotas e outras aves marinhas alimentam-se delas. Das que chegam ao mar, algumas são alimento de animais marinhos, peixes e afinsSó à medida que crescem e a sua carapaça enrijece é que conseguem tornar-se menos apetecidas como alimento.Nadando para fora, são apanhados pela Corrente do Golfo. Passado algum tempo, as tartarugas devem sair da Corrente de Golfo e entram no sistema giratório do Atlântico Norte que levará estes jovens até às águas do arquipélagos dos Açores, Madeira e Canárias.
Infelizmente, de centenas de ovos, poucas chegam à idade adulta, mas a Natureza funciona assim.
Depois, o ciclo da vida da tartaruga marinha repete-se.

 

publicado por Diana às 15:07
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Coala

Os coalas são mamíferos marsupiais que vivem na Austrália, tal como os cangurus.
São marsupiais porque as fêmeas destes animais têm uma bolsa na barriga chamada bolsa marsupial ou marsúpio.
Os coalas alimentam-se, principalmente, de folhas de eucalipto, por isso vivem em florestas destas árvores.


Também se alimentam de solo e da casca mais macia dos eucaliptos.
Sabias que, das 350 espécies de eucalipto que existem, os coalas só gostam de comer as folhas de 20?

E sabias que os coalas raramente bebem água?
Quando comem as folhas de eucalipto, os coalas estão também a absorver a água que elas contêm. E chega-lhes!
Foi por isso que os aborígenes australianos lhes deram o nome de coala, que significa "não bebe".

Os coalas parecem ursinhos de peluche, devido ao seu pêlo cinzento no dorso e branco na região ventral (a parte da barriga).
Têm uma cabeça arredondada, as orelhas grandes e felpudas e o nariz grande e preto.
Nas patas de trás, têm os dedos polegares afastados dos outros para conseguirem agarrar-se bem às árvores quando trepam.
Geralmente, os coalas vivem sozinhos. Só se juntam quando é para acasalar e, mesmo assim, por pouco tempo!
Os coalas machos atraem as fêmeas através do odor com que marcam as árvores e dos sons que fazem para as chamar.

A cria nasce 35 dias depois do acasalamento mas, ao contrário de outros animais, ainda não está pronta para sobreviver.
Quando a cria nasce, vai para a bolsa marsupial na barriga da mãe coala e aí fica a mamar durante 7 meses.
Depois, vai para o dorso da mãe e fica agarrada a ele até fazer um ano de idade.
Só nesta altura é que o bebé coala está pronto para enfrentar a
vida sozinho!

Os biólogos acham que os coalas já existem há mais de 15 milhões de anos mas só há pouco mais de 200 anos é que um europeu viu um coala pela primeira vez!


Pensa-se que, há milhares de anos atrás, já existiram coalas gigantes com mais do dobro do tamanho dos que hoje conhecemos.
Actualmente, não existem coalas gigantes mas há três subespécies diferentes de coala.


Consoante a região que habitam, estas subespécies diferem em peso, comprimento e espessura do pêlo.
Os maiores são os das regiões do sul da Austrália e chegam a medir 78 cm e a pesar 12 kg!


Apesar de já terem estado em vias de extinção, por causa dos incêndios, do abate dos eucaliptos de que se alimentam e da caça, hoje em dia os coalas são uma espécie protegida.


Sabias que um coala pode viver entre 13 e 18 anos?

 

publicado por Diana às 21:49
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

Tucano

Origem

Esta ave tem origem nas florestas tropicais da América Central e do Sul, sobretudo na Amazónia.

No entanto, é possível encontrá-lo num vasto território, que vai até ao Norte da Argentina, até porque existem várias espécies desta ave ao longo desta área, e a todos se dão o correntemente o mesmo nome.

A ave
Belissima ave, com um bico único no mundo, grande e colorido, ganhou admiradores por todos os continentes.
Apesar de grande, forte e poderoso, o seu bico não é pesado, já que é formado por uma estrutura óssea alvéolar, que o torna leve, não tendo qualquer interferência no seu vôo.
O bico serve, sobretudo, para agarrar e descascar frutos que encontra nas árvores e que são a base da sua alimentação, e para agarrar pequenos répteis, que também gosta de comer.

Perigos
Começa a causar alguma preocupação entre os biólogos o facto de ter vindo a ser capturado para fins comerciais com muita intensidade, o que levou ao seu desaparecimento em algumas áreas.

Este comércio ilegal, provocou a morte de muitos exemplares jovens, durante o transporte para locais do mundo muito distantes, em condições muito precárias.
Apesar disso, presume-se estar longe da extinção.

O seu comprimento pode atingir os 65 cm, contando com o bico, que só por si chega a medir 20 cm.

Um Tucano pode viver cerca de 20 anos

publicado por Diana às 21:49
link do post | comentar | favorito
Domingo, 26 de Outubro de 2008

Girafa

  • A girafa é um animal que reconhecemos bem à distância por todas as suas características especiais, principalmente por ser grande em tudo!

  • Vive em África, na savana: um campo muito grande, raso e quente com ervas e árvores.

  • O pêlo da girafa é castanho-alaranjado com manchas. Sabias que essas manchas distinguem uns animais dos outros porque são sempre diferentes?
    A ponta das patas costuma ser branca ou muito clara.


  • Tem um par de corninhos pequeninos na cabeça que terminam com um penacho de pêlos. Como é feito de osso, nunca cai e por estar coberto de pêlos ajuda-a a defender-se do ataque de outras girafas, sem se magoarem.

  • Os machos lutam muito uns com os outros por causa das fêmeas e para proteger o seu espaço, mas raramente se magoam. Ficam lado a lado, a dar cabeçadas um no outro.

  • Sabias que a girafa é o animal mais alto do mundo, chegando a ter 6 metros?
    Imagina a altura de três homens e uma criança, todos em cima uns dos outros!

  • Por ser tão alta, ela também é muito pesada. Pesa quase 1000 quilos, mais do que um automóvel!

  • Consegue correr muito depressa, ouve e vê muito bem, o que dificulta o ataque dos predadores, os animais que a querem caçar.
  • A girafa alimenta-se de folhas de árvores, e é por isso que tem o pescoço tão comprido: para lhes chegar facilmente.

  • Quando tem de beber água, precisa de afastar as patas da frente para conseguir descer com a boca até ao nível do chão.
    Nestas alturas os leões podem atacá-las e elas não se conseguem defender por estarem numa posição tão complicada.

  • Por isso raramente se baixam e são capazes de passar muitos dias sem beber água.

  • Vivem em manadas, isto é, em grupos. A manada tem um chefe, um macho. Mas sabias que quando vão para outros sítios é a fêmea que os conduz a todos?


  • Quando uma mãe girafa vai ter um bebé tem que esperar 450 dias, ou seja, 15 meses. É mais do que um ano! Normalmente, só tem um filhote de cada vez. A cria nasce já com dois metros, é mais alta do que um homem, e começa logo a andar.

  • Caso o filhote seja atacado, a mãe girafa defende-o logo dando um pontapé com toda a força com as suas pernas grandes e fortes
    Até o leão tem medo dela!
  • Antigamente pensava-se que as girafas não faziam nenhum barulho especial, mas agora sabe-se que fazem uns gemidos e bufam baixinho.

  • Sabias que a girafa dorme de pé?
    Só quando se sente completamente segura é que se deita no chão para descansar. Passa o dia calmamente à sombra das árvores e à noite, quando está mais fresco, sai para se alimentar.

  • Quando estão apaixonadas, as girafas esfregam os seus grandes pescoços umas nas outras em sinal de carinho.

  • Sabias que a sua língua é de cor roxa e muito comprida? E que a girafa consegue limpar as orelhas com ela?
publicado por Diana às 18:16
link do post | comentar | favorito
Sábado, 25 de Outubro de 2008

Urso Pardo

Nome popular: Urso Pardo
Nome Científico: Ursus arctos
Distribuição geográfica: América do Norte, Ásia e Europa.
Habitat natural: São encontrados desde florestas densas a pradarias subalpinas e tundra árctica.
Hábitos alimentares: Omnívoro. Come mel, frutas, insectos, pequenos animais e peixes. Raramente caça gamos, alces e outros animais.
Tamanho: Comprimento: 1 m até 2,80 metros.
Peso: de 80 kg até 600 kg.
Período de gestação: Varia de 180 até 266 dias.
Número de crias: 2 ou 3
Tempo médio de vida: 20 a 30 anos.
Estado de conservação da espécie: A espécie encontra-se ameaçada, entre outros factores, pela destruição do seu habitat natural e pela poluição.

urso pardo

publicado por Diana às 15:41
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2008

Lontra

Nome popular: Lontra
Nome Científico: Lutra lutra
Distribuição geográfica: Vive na Europa, Ásia, porção sul da América do Norte e ao longo de toda a América do Sul, incluindo o Brasil e a Argentina.
Habitat natural: Associada a zonas húmidas, ocorre em águas continentais como rios, ribeiras, pauis, lagoas e albufeiras, em águas salobras como os estuários, mas também nalguns pontos do litoral marinho.
Hábitos alimentares: Possui uma dieta maioritariamente constituída por peixe mas que pode incluir crustáceos, anfíbios, aves e alguns mamíferos consoante a sua disponibilidade e abundância no meio.
Tamanho: Comprimento: 60 cm até 90 cm; mais cauda de 35 a 47 cm.
Peso: 6 kg até 10 kg.
Período de gestação: Cerca de 2 meses.
Número de crias: A ninhada pode ter entre 1 a 5 crias, sendo 2 a 3 o mais usual.
Tempo médio de vida: Vive entre 6 a 8 anos.
Estado de conservação da espécie: Classificada como Vulnerável pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Entre os vários factores que colocam a espécie em perigo contam-se: a poluição e destruição dos ambientes aquáticos e ripícolas, o uso de pesticidas na agricultura que afecta a qualidade da água dos rios, os atropelamentos e a perseguição directa por parte do Homem devido à concorrência pelo peixe. Há a contar ainda com o facto de a sua pele ter um elevado valor no sector têxtil.

publicado por Diana às 19:59
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

20081019-183700-Untitled4.jpg picture by historiasdemake

Photobucket

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008